EQ-5D em Estudantes Universitários de Medicina – Estudo Observacional

Autores

  • Cátia Marisa Santos Nunes
  • Luiz Miguel Santiago
  • Carlos Braz Saraiva

DOI:

https://doi.org/10.35323/revadso.23201421

Resumo

Introdução: A qualidade de vida (QV) relacionada com
a saúde dos jovens estudantes finalistas de Medicina é
um tema ainda pouco explorado e que deve ser medido
utilizando instrumentos validados, tentando igualmente
perceber quais os fatores que a podem influenciar, bem
como em que medida.
Objetivo: Estudar a qualidade de vida dos estudantes do
6º Ano de Medicina, segundo variáveis epidemiológicas.
Metodologia: Estudo observacional, transversal e analítico,
realizado em Setembro, na Faculdade de Medicina
da Universidade de Coimbra, por aplicação do questionário
EQ-5D (Índice e EQ-VAS) a todos os alunos do
6º Ano de 2013/2014, juntamente com um inquérito
epidemiológico sobre variáveis económico-sociais. Realização
de estatística descritiva e inferencial.
Resultados: De uma população de 270 alunos de Medicina,
foi obtida uma amostra de 186 participantes (69%
sexo feminino) com uma média de 23,6 ± 1,7 anos de
idade. A média do Índice de QV dos estudantes é de 0,88
± 0,15 e a do EQ-VAS de 83,0 ± 13,6. A QV é melhor percebida
no sexo masculino (Índice de QV ! 0,92 ± 0,13
vs " 0,86 ± 0,15 p=0,005 e EQ-VAS ! 86,5 ± 10,9 vs
" 81,1 ± 14,6 p=0,009, respetivamente). Tem diferença

com significado a satisfação com a vida social (0,89 ±
0,14 vs 0,78 ± 0,15 p<0,001), e a perceção do estado
de saúde (84,1 ± 12,9 vs 76,2 ± 16,2 p=0,005), a satisfação
na vida estudantil no EQ-5D (0,89 ± 0,14 vs 0,81 ±
0,17 p= 0,008). A preocupação com o futuro é diferente
no índice EQ-5D (0,86 ± 0,15 vs 0,90 ± 0,14 p=0,047) e
no EQ-VAS (80,5 ± 15,2 vs 85,1 ± 11,8 p=0,021).
Discussão: Sem outros valores para comparar com os
presentes percebe-se a importância estratégica de estudar
determinantes e influenciadores da QV de estudantes
finalistas de Medicina para que possam ser desenhadas
as medidas táticas tendentes à melhoria das
suas capacidades de estudo e aprendizagem, devendo
esta atividade de medida ser realizada regularmente.
Conclusão: Variáveis socio-epidemiológicas como o sexo
masculino, a satisfação com a vida social e estudantil e
preocupação com o futuro interferem com o estado de
saúde dos alunos.

Downloads

Publicado

2015-03-02

Edição

Secção

Investigação