Uma improvável queimadura: Relato de caso de Esclerose Sistémica Difusa

  • Catarina Isabel Dias Rosa Unidade de Saúde Familiar Beira Ria

Resumo

Introdução:A Esclerose Sistémica Difusa (ESD) é uma doença autoimune, de causa desconhecida, que pode afetar múltiplos sistemas de órgãos, condicionando gravemente a qualidade de vida dos doentes afetados. Embora não sejam conhecidos os agentes que modifiquem a evolução da doença, a terapêutica imunossupressora deverá ser iniciada numa fase precoce, sendo por esse motivo primordial o seu reconhecimento nas fases mais iniciais. Inevitavelmente a ESD condiciona elevado impacto a nível físico e psicológico do doente, devendo ser considerados fatores como o estado nutricional, a dor, o descondicionamento físico, a atrofia muscular, comorbilidades, o impacto psicológico da doença e o isolamento social. A abordagem dos doentes com ESD deve ser por isso baseada numa visão global e multidisciplinar. Descrição do caso:Apresenta-se um caso de uma mulher de 50 anos, sem antecedentes pessoais ou familiares de relevo para a doença atual. Apresentava edema e rubor de ambas as mãos associado a rigidez matinal de 30 minutos com duas semanas de evolução, sendo objetivável ao exame objetivo edema em todos os dedos de ambas as mãos, rubor ligeiro nas articulações metacarpicofalâncias, interfalângicas distais e interfalângicas proximais, ausência de dor à palpação ou mobilização das articulações e ligeira limitação na flexão. Foi orientada a nível hospitalar inicialmente pela especialidade de Medicina Interna tendo sido colocada a hipótese diagnóstica de ESD após realização de meios complementares de diagnóstico. Por se tratar de uma doença que multiorgânica mantem seguimento atualmente em consultas de Reumatologia, Dermatologia, Medicina Física e de Reabilitação e Pneumologia. Comentário:Embora a ESD seja uma doença extremamente rara, o relato deste caso realça a importância do conhecimento por parte do médico de família dos sinais de alarme da doença reumatológica. Alem disso o médico de família tem ainda papel na gestão da multimorbilidade associada e de suporte aos cuidadores do doente.

Referências

Coelho PC, Cunha I, Cruz M, Salvador MJ, Santos MJ. Manual Prático da Esclerose Sistémica GDRESIS. Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

Schwartz RA. Systemic Sclerosis. Medscape [Internet]; 2016 [cited 2016 Set 2]. Available from: http://emedicine.medscape.com/article/1066280-overview

Cordeiro A. Esclerose Sistémica. Boletim Informativo da Sociedade Portuguesa de Reumatologia. 2011. Sociedade Portuguesa de Reumatologia. 265378/07

Cordeiro A. Systemic Sclerosis: know more, hope more. Acta Reumatol Port. 2016 Jan-Mar;41(1):6-7.

Denton CP, Hughes M, Gak N, Vila J, Buch MH, Chakravarty K, Fligelstone K, Gompels LL, Griffiths B, Herrick AL, Pang J, Parker L, Redmond A, Van Laar J, Warburton L, Ong VH. BSR and BHPR guideline for the treatment of systemic sclerosis. Rheumatology (Oxford). 2016 Jun 9. pii: kew224

Publicado
2020-02-16
Como Citar
Dias RosaC. I. (2020). Uma improvável queimadura: Relato de caso de Esclerose Sistémica Difusa. Revista ADSO, 7(11), 26-29. https://doi.org/10.35323/revadso.7112019118
Secção
Relato de caso