IMPACTO EDUCACIONAL, PELO MÉTODO DE ENSINO DE MEDICINA GERAL E FAMILIAR, NOS ESTUDANTES DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA NO ANO LETIVO 2017-18

  • Mélanie Freitas Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
  • Luiz Miguel Mendonça Soares Santiago Clínica Universitária de Medicina Geral e Familiar da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; CEISUC - Centro de Estudos e Investigação em Saúde da Universidade de Coimbra https://orcid.org/0000-0002-9343-2827
  • Inês Rosendo, MD, PhD Clínica Universitária de Medicina Geral e Familiar da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; CINTESIS - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde https://orcid.org/0000-0001-8838-6021
  • José Augusto Rodrigues Simões ACeS Baixo Mondego; Faculdade Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior http://orcid.org/0000-0003-2264-7086

Resumo

Objetivos: Caracterizar o impacto educacional do processo de ensino da unidade curricular (UC) de Medicina Geral e Familiar (MGF), avaliando os resultados do ensino e aprendizagem na UC de MGF no ano letivo de 2017-2018. Métodos: Foram analisados os resultados das respostas a questionário aplicado em sala no início e no fim de cada aula. Realizou-se estatística descritiva e inferencial bem como o cálculo da dinâmica de crescimento. Resultados: Neste estudo 78,3% das 60 perguntas apresentaram uma dinâmica de crescimento positiva, 21,6% das questões, apresentaram uma dinâmica de crescimento negativa. Houve um ganho em 50% do total de perguntas na aprendizagem pós formação dos alunos. Em 50% das questões, não houve avaliação satisfatória quanto ao ganho e aumento da capacidade de aprendizagem e 56,7% das perguntas apresentaram resultados estatisticamente significativos. Conclusões: Houve ganho formativo e aprendizagem para os alunos que frequentaram as aulas teórico-práticas. A metodologia aplicada permite aperfeiçoar para melhorar a aprendizagem. Palavras- Chave Estudantes de medicina; educação médica; medicina geral e familiar; ensino; aprendizagem.

Biografia Autor

José Augusto Rodrigues Simões, ACeS Baixo Mondego; Faculdade Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior
Médico de Família, ACes Baixo Mondego, ARS CentroPresidente da ADSOOrientador de Formação do Internato Médico de MGFTutor de Alunos de Medicina, 5º e 6º ano.

Referências

Martins e Silva J. Educação médica e profissionalismo. Acta Med Port. 2013;26(4):420-7.

Association of American Medical Colleges. Learning objectives for medical student education--guidelines for medical schools: report I of the Medical School Objectives Project. Acad Med. 1999 Jan;74(1):13-8.

Ferreira MA. Educação Médica no Século XXI : O Desafio da Integração da Tecnologia e Humanidades. Gaz Médica. 2016;3(4):156-161.

Gomes AP, Rego S. Paulo Freire: contribuindo para pensar mudanças de estratégias no ensino de medicina. Rev Bras Educ Med. 2014;38(3):299-313.

Martins e Silva J. A importância de definir as competências nucleares do licenciado em Medicina. In: Victorino R, Jollie C McKimm J. O Licenciado Médico em Portugal. Core Graduates Learning Outcomes Project. Lisboa: Faculdade de Medicina de Lisboa; 2005. ISSN 972-9349-19-3. p.9-17.

EURACT. A Definição Europeia de Medicina Geral e Familiar (Clínica Geral/Medicina Familiar). Rev Port Clin Geral. 2005;511-516.

Universidade de Coimbra; Faculdade de Medicina. Mestrado Integrado em Medicina. Plano de Estudos. Unidade Curricular / Medicina Geral e Familiar. [Internet] Disponível em URL: https://apps.uc.pt/courses/PT/unit/81379/16221/2019-2020?common_core=true&type=ram&id=5841. Acedido a 25/01/2019

Universidade de Coimbra; Faculdade de Medicina; Conselho Pedagógico. Regulamento Pedagógico da FMUC. [Internet] Disponível em URL: http://www.uc.pt/fmuc/ensino/regulamentos/OO_RPFMUC_Homologado. Acedido a 25/01/2019.

Publicado
2020-02-08
Como Citar
FreitasM., SantiagoL. M. M. S., RosendoI., & SimõesJ. A. R. (2020). IMPACTO EDUCACIONAL, PELO MÉTODO DE ENSINO DE MEDICINA GERAL E FAMILIAR, NOS ESTUDANTES DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA NO ANO LETIVO 2017-18. Revista ADSO, 7(11), 17-25. https://doi.org/10.35323/revadso.7112019141
Secção
Investigação